quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Intercâmbio de estudo

Olá leitores! É com grande satisfação que anuncio que nesse semestre irei fazer um intercâmbio na Universidade do Minho, em Portugal. Não pretendo abandonar meu blog, pelo contrário, quero que ele seja um instrumento para divulgar a Psicologia que encontrarei lá na Europa.

Aproveito esse post para falar um pouco sobre intercâmbios, já que muitas pessoas me perguntam sobre isso.

Consegui uma bolsa de estudos por um semestre pelo programa ISAC-Improving Skills Across Continents, no âmbito do programa Erasmus Mundus. Trata-se de um intercâmbio entre alunos europeus e da América Latina. No meu caso, como sou da graduação, cursarei um semestre, porém há também programas para a pós-graduação, que geralmente são mais longos.

Fiquei sabendo dessa possibilidade através de um e-mail que recebi da comissão de graduação da Psicologia da USP. Provavelmente se eles não tivessem um sistema bom de divulgação, eu não saberia desse programa.

Assim, para quem está interessado em um intercâmbio, a primeira dica que considero pertinente é a de se informar na secretaria do seu curso, para verificar se existe uma pessoa encarregada de verificar essas oportunidades e repassá-las aos alunos. Caso não haja, é importante fazer a sugestão.

Segundo, sempre esteja ligado em sites que tratam do assunto. Um que considero bom é o da Universia. Correr atrás de informações é essencial, pois você pode deixar passar uma grande oportunidade simplesmente por ter perdido o prazo de inscrição.

Terceiro, e muito importante: não basta estar ligado, você tem que ter condições para realizar o intercâmbio. Condições podem significar várias coisas dependendo da situação: dinheiro, tempo, disposição, estabilidade emocional, fluência na língua do país que o receberá, flexibilidade e bom desempenho acadêmico são alguns exemplos.

A USP tem um sistema de informações aos alunos através do site da CCInt, que é a Comissão de Cooperação Internacional. Se você der uma olhada no site, verá que a esmagadora maioria dos intercâmbios oferecidos não contam com bolsa. Ou seja, você pode ser aceito para o intercâmbio, mas arcará com as despesas da viagem. Isso torna o intercâmbio um sonho impossível para a maioria das pessoas, eu inclusive.

Alguns pouquíssimos casos contam com bolsas, que normalmente te permitem ter uma vida digna no país escolhido, sem ter que contar com a ajuda dos pais. Porém, nesses casos, a concorrência é alta, afinal muitas pessoas querem algo assim. A seleção se torna mais rigorosa, e o currículo e histórico contam muito. Isso significa que é importante que você mantenha notas altas e participação em atividades acadêmicas como congressos, iniciação científica, monitoria, estágio etc.

Se você quer muito realizar um intercâmbio - que é uma experiência muito enriquecedora - é importante se programar. Pense no país que gostaria, estude a língua, fique ligado nas chances que aparecem e mantenha um bom currículo, que você tem chance de conseguir. E claro que a maior parte de ofertas de intercâmbios ocorrem em universidades públicas brasileiras, como USP, UNESP, UNB, UFRJ etc.

Boa sorte!

3 comentários:

Ariane disse...

Adorei as dicas! Aliás, adoro ler teu blog,pois é muito inteligente, objetivo e útil, o que reflete tua postura profissional e pessoal!Sou tua fã. Parabéns e boa sorte no intercâmbio! :)

Osame disse...

Isabella, veja se encontra na terrinha algum blogueiro que queira vir no II EWCLIPO representando Portugal (e nos dando uma boa ideia da blogosfera de lá)

Isabella Bertelli disse...

Obrigada pelos elogios, Ariane.

Osame, vou ver se encontro algum sim. Te aviso. Aliás, que encontro é esse?